581 - Castelo Forte

Anúncios:


1
Castelo forte é nosso Deus,
Amparo e fortaleza:
Com seu poder defende os seus
Na luta e na fraqueza.
Nos tenta Satanás,
Com fúria pertinaz,
Com artimanhas tais
E astúcias tão cruéis,
Que iguais não há na Terra.

2
A nossa força nada faz:
Estamos, sim, perdidos.
Mas nosso Deus socorro traz
E somos protegidos.
Defende-nos Jesus,
O que venceu na cruz
O Senhor dos altos céus.
E sendo também Deus,
Triunfa na batalha.

3
Se nos quisessem devorar
Demônios não contados,
Não nos podiam assustar,
Nem somos derrotados.
O grande acusador
Dos servos do Senhor
Já condenado está:
Vencido cairá
Por uma só palavra.

4
Que Deus a luta vencerá,
Sabemos com certeza,
E nada nos assustará
Com Cristo por defesa.
Se temos de perder
Família, bens, poder,
E, embora a vida vá,
Por nós Jesus está,
E dar-nos-á seu reino

  Castelo Forte (2,5 KiB, 1.716 hits)


Autor ou Tradutor: M.L Martin Luther
*** Pode ser que tenha outro co-autor

Anúncios:

5 comentários a “Castelo Forte

  1. Danielle Ribeiro Santos

    Feste Burg ist unser Gott (Castelo Forte é nosso Deus) composto por Martinho Lutero.

    Lá por volta do ano 1500 da nossa era, estava triunfante o movimento da Reforma Religiosa na Europa. Iniciado por Martinho Lutero e coadjuvado por Melanchton (um leigo-teólogo), Calvino, Zwinglio, Huss, Farel e outros, tomou logo conta de todos os países; mas no ano de 1523, em Bruxelas, dois jovens, cujo único crime fora a sua profissão de fé na nova doutrina, foram queimados.

    Em honra a dois mártires, que no ano de 1523, foram queimados em Bruxelas, Lutero escreveu e compôs a música do seu primeiro hino: Castelo forte é nosso Deus, o qual é uma paráfrase do Salmo 46:

    “1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.
    2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares;
    3 ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.”

    Martinho Lutero(1483-1546) é conhecido por suas 95 Teses, que eclodiram a Reforma Protestante, em 31 de outubro de 1517, em Wittemberg, Alemanha.

    Lutero foi também o iniciador do canto congregacional. Antes dele havia poucos hinos que eram cantados em latim, somente pelo clero da igreja.

    Esse hino era cantado diariamente por Lutero e por seus companheiros.

    E hoje, faz parte de diversos hinários sacros das mais variadas denominações, é o:

    _ hino nº 165 no hinário da Igreja Luterana;
    _ hino nº 328 no hinário da Igreja Presbiteriana;
    _ hino nº 206 no hinário da Igreja Metodista;
    _ hino nº 323 no hinário da Igreja Batista;
    _ hino nº 381 no hinário da Igreja Congregação Cristã no Brasil (neste hinário a expressão Castelo Forte é traduzida como Forte Rocha);
    _ hino nº 581 no hinário da Igreja Assembléia de Deus;
    _ e outras denominações possuem este hino em seus hinários. Sendo assim o hino protestante mais conhecido em todo o mundo.

    Responder
  2. marcia soares

    Eu amo este hino, o meu pastor,Davi Lourenço nos ensinou a cantar,e hoje ele deve está cantando la na gloria, Não sei o que comentar a não ser que eu sempre vou escutar este hino chorar de saudades dele e da minha mãe,que juntos louvarão ao nosso Deus,

    Responder
  3. marcos mateus

    Lindo hino este.. é bom para que todos saibam

    a origem dos hinos e tenham em mente que

    os crentes sempre tiveram um só propósito..

    se compartilham hinos, porque não a comunhão?

    Responder
  4. João Eli Cassab

    Considero este hino como um dos mais representativos da presença, atuação e importância que teve Martinho Lutero em termos de presença e atividades durante a reforma em que sua importância foi extrema e indispensável!

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *