Arquivo da Categoria: Sua morte

163 - Cristo Morreu Por Mim

Anúncios:


1
Do Calvário, pela senda,
O Senhor Jesus subiu,
E na cruz, em dor horrenda,
Obra de amor cumpriu!

Sobre a cruz, sobre a cruz,
Cristo Jesus morreu por mim;
Sobre a cruz, sobre a cruz,
Cristo Jesus morreu por ti.

2
Oh! Que obra gloriosa
Foi pra Deus a de Jesus!
Sua morte tão penosa
Fez raiar, do céu, a luz!

3
Nesta obra hoje crendo,
Tenho vida e prazer;
Pela fé, estou revendo
O Senhor, por mim sofrer.

4
Pecador na cruz remirá,
De Jesus a morte atroz.
Pois o teu pecado tira,
Se ouvires Sua voz.

  Cristo Morreu Por Mim (2,7 KiB, 1.233 hits)


Autor ou Tradutor: P.L.M Paulo Leivas Macalão
*** Pode ser que tenha outro co-autor

Anúncios:

234 - O Gozo Dos Santos

Anúncios:


1
O gozo dos santos é o amor de Jesus.
Grande é este amor que paz nos produz!
A fonte da vida, que nos dá vigor,
É o sangue de Cristo vertido em dor!

Oh! Vê ali na cruz a graça de Jesus,
Amor potente, que gozo produz!

2
Ó vê, “eis o Homem” que padece ali,
Coberto de sangue, ferido por ti.
Estampa na face tão enorme dor
De ‘spinhos coroa possui meu Senhor!

3
Com cravos, furados tem os pés e as mãos;
Pregado no lenho, em grande aflição;
Aberto Seu lado co’a lança Cruel
Sai água e sangue do Emanuel!

4
Por Cristo Cumprida foi a obra de amor,
Morreu qual Cordeiro, por ti pecador;
Confiando agora na obra da Cruz,
A vida nós temos por Cristo Jesus.

  O Gozo Dos Santos (2,6 KiB, 1.151 hits)


Autor ou Tradutor: P.L.M Paulo Leivas Macalão
*** Pode ser que tenha outro co-autor

291 - A Mensagem da Cruz


1
Rude cruz se erigiu,
Dela o dia fugiu,
Como emblema de vergonha e dor;
Mas contemplo esta cruz.
Porque nela Jesus
Deu a vida por mim, pecador.

Sim, eu amo a mensagem da cruz
Té morrer eu a vou proclamar;
Levarei eu também minha cruz
Té por uma coroa trocar.

2
Desde a glória dos céus,
O Cordeiro de Deus,
Ao Calvário humilhante baixou;
Essa cruz tem pra mim
Atrativos sem fim,
Porque nela Jesus me salvou.

3
Nesta cruz padeceu
E por mim já morreu,
Meu Jesus, para dar-me o perdão
E eu me alegro na cruz,
Dela vem graça e luz,
Para minha santificação.

4
Eu aqui com Jesus,
A vergonha da cruz
Quero sempre levar e sofrer;
Cristo vem me buscar,
E com Ele, no lar,
Uma parte da glória hei de ter.

  A Mensagem da Cruz (2,9 KiB, 4.445 hits)


Autor ou Tradutor: A.A Antônio Almeida
*** Pode ser que tenha outro co-autor

293 - Jesus no Calvário


1
Jesus no Calvário, por mim sofreu
A morte da maldição;
Minh’alma ganhou, com o sangue Seu
O preço da redenção.
Do alto da cruz, Jesus exclamou:
“Consumado está”, ao espírito rendeu;
O sangue verteu, a me expiou,
Unindo-me ao povo Seu.

2
Na cruz do Calvário, a cédula foi
Cravada que Ele riscou.
O véu se rasgou, a porta se abriu,
Aberta p’ra Deus ficou.
Sobre a cruz eu morri, com Cristo Jesus;
O meu “ego” falaz sobre o lenho levou.
A noite fugiu, e raiou a luz!
Por Cristo eu salvo estou.

3
Na cruz do Calvário, ao mundo morri;
Aqui um estranho fiquei;
Não vivo mais eu, com Cristo me uni;
Que vida excelsa achei!
O Cordeiro de Deus minh’alma nevou;
O sangue pascoal a culpa tirou,
O destruidor minh’alma passou, S.N.
Em Cristo liberto estou.

  Jesus no Calvário (2,7 KiB, 1.297 hits)


Autor ou Tradutor: S.N Samuel Nyström
*** Pode ser que tenha outro co-autor

380 - Abraão e Seu Sacrifício


1
Debaixo dumas mui formosas tamareiras,
Estando já Berseba na escuridão.
As aves escutando, entre as roseiras,
Se vê andar o patriarca Abraão.
Seu coração perante Deus está aflito,
Pois quer que O sirvamos sem murmuração;
E por amor pergunta ao Senhor bendito:
“O meu amado filho queres Tu, então?”

2
A voz de Jeová potente é ouvida:
“O teu Isaque oferece para Mim,
Embora fiques com tu’alma dolorida,
Pois te abençoo se fizeres tu assim”.
De abatido Abraão se torna forte
E Canta hinos, pois com fé medita já:
“Deus pode o meu filho libertar da morte!”
E não temendo, segue para Moriá.

3
Ao pé do monte do supremo sacrifício,
Profunda duvida entrou em Abraão:
“Irei perder da minha vida o beneficio?”
E triste começou subir com lentidão,
Pois ia dar, do coração a esperança
– No seu outono, sacrifício duma flor,&
Assim levou o seu cordeiro à matança,
Em obediência ao mandato do Senhor.

4
Isaque com a lenha, presto vai na frente,
Oh! Quanto é formoso para Abraão!
Mas eis que volta p’ra seu pai suavemente
E lhe dirige esta interrogação:
“O fogo e a lenha estou vendo que trouxemos,
Mas o cordeiro d’holocausto onde está?”
E a resposta de Abraão na Bíblia temos:
“Meu filho, Deus pra Si, Cordeiro proverá”
.
5
Chegando Abraão aonde Deus mandara,
Fez um altar e nele a lenha arrumou:
E a seu filho, que já dantes amarrara,
Tomando nos seus braços sobre o altar deitou,
Mas quando Abraão foi para imolá-lo,
O Anjo do Senhor bradou-lhe desde os céus:
“A tua mão, ó não estendas p’ra matá-lo;
Porquanto eu agora sei que temes Deus”.

6
Erguendo Abraão seus olhos de repente,
Vê um cordeiro, que no mato preso está,
E o tomando, oferece-o alegremente;
Assim “No monte do Senhor se proverá”.
A voz do Anjo é ouvida novamente;
“Diz o Senhor: Porque fizeste esta ação,
Deveras, Eu abençoarei a tua semente,
E nela, as nações benditas se farão”.

7
O nosso Isaque oferecemos com firmeza
No Moriá onde finda o ideal,
Pois foi ali que alcançaram fortaleza,
Os vencedores, sob canto angelical;
Ali, o nosso Deus jurou fidelidade,
Também os santos se encheram de valor,
E só teremos a perfeita santidade,
Depois que formos para o monte do Senhor.

  Abraão e Seu Sacrifício (3,4 KiB, 1.883 hits)


Autor ou Tradutor: P.L.M Paulo Leivas Macalão
*** Pode ser que tenha outro co-autor